A culpa é do pedreiro!

As pessoas quando sentem dor de barriga procuram por um médico; quando o animal de está não está bem procuram por um veterinário; ao abrir uma firma procuram um contador; na dor de dente um dentista; no divórcio um advogado. Porém, quando é para construir ou reformar procuram um pedreiro; não desmerecendo a profissão deste que tanto enobrece o trabalho braçal no nosso país, mas é que ninguém gosta de gastar com arquiteto ou engenheiro. Acham desnecessário; todo mundo entende de obra, e quando acontece algo errado culpam o coitado do pedreiro, que não possui formação nem mesmo para ler ou interpretar as plantas de um projeto.

Toda obra, seja de pouca ou alta complexidade, costuma apresentar problemas durante sua execução mesmo quando utilizada toda técnica conhecida na literatura e na legislação vigente, imaginem quando não utilizam os recursos profissionais disponíveis? Portanto, deixem que as ações de operacionalização, técnica, obrigações trabalhistas e sociais fiquem a cargo de alguém com a qualificação necessária.

O problema mais comum em obras de implantação, aquela que começa limpando o terreno e termina com a cobertura do telhado, está na marcação de colunas e gabarito da obra. Nessa fase, se houver um erro milimétrico compromete toda edificação, é por isso que de vez em quando encontramos cômodos com dimensões menores ou maiores que o projetado e como consequência não se consegue inserir o mobiliário previsto no ambiente ou gastar mais cerâmica de piso que o previsto, problema agravado quando não existe no mercado o mesmo ti de piso adquirido inicialmente para completar o cômodo, então, a culpa é do coitado do pedreiro.

Nos casos de obras de reforma que envolve coletividade, caso dos condomínios, é muito comum desconsiderar o trânsito de material demolido que tem como consequência o acúmulo de entulho em local indevido porque alguém se esqueceu de contratar um container e, claro, a culpa é do pedreiro.

A responsabilidade cível é exclusiva do responsável técnico pela obra, desde que seja um arquiteto ou engenheiro, que além de cuidar das questões técnicas é obrigado, também, a cuidar da segurança e das questões trabalhistas. Caso ocorra algum problema em uma dessas esferas e se não houver um profis- sional qualificado contratado, a responsabilidade recairá sobre o contratante, que além de responder judicialmente pelo problema, responderá também, por exercício ilegal da profissão de arquiteto ou engenheiro. Muitas pessoas desconhecem a verdadeira utilidade desses profissionais e, consequentemente, incorrem em erros primários em obras.

Em se tratando de obra se faz necessário procurar o auxilio de profissionais com formação superior que proverá o interessado de informações necessárias ao bom andamento dos serviços, mesmo quando se tratar de substituição de revestimento tais como trocar o piso da sala, exemplo muito comum nos lares brasileiros. O profissional fará a relação de material e explicará ao nosso valoroso pedreiro se o ti de piso fi ará melhor com junta seca ou estreita. Quer saber o que é junta seca ou estreita? Contrate um arquiteto ou um engenheiro, em último caso, procure no Google.

Construa certo, contrate um arquiteto. Economize dinheiro, contrate um engenheiro. Entre em desespero, contrate somente o pedreiro.

Qual é a sua opinião sobre esta matéria? Comente...

Compartilhecom outros síndicos:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Síndico bom é síndico informado!

Cadastre-se para receber todas as matérias e atualizações do site, em primeira mão. É GRÁTIS
Suas informações são sigilosas, sem propagandas ou SPAM.

    Portal independente administrado por 3 LADOS Serviços em Marketing Digital – CNPJ 18.761.034/0001-64

    Todos os direitos reservados. Marca registrada. Versão 4.0